Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Arvore De Letras

Coisas lidas,ouvidas,cantadas, declamadas,faladas,escritas

Arvore De Letras

Coisas lidas,ouvidas,cantadas, declamadas,faladas,escritas

20
Fev09

O último voo do flamingo Mia Couto XI

AnnaTree


Coisas Lidas
(...)
Mudam-se os tempos, desmudam-se as vontades.
(...)
Sem que desse conta eu me abria e confessava antigas lembranças ao estrangeiro. Vantagem de um estranho é que confiamos essa mentira de termos uma só alma.
(...)
Conselhos de minha mãe foram apenas silêncios. Suas falas tinham o sotaque de nuvem.
- A vida é que é a mais contagiosa – dizia
Eu lhe pedia explicação do nosso destino, ancorados em pobreza.
- Veja você, meu filho, já apanhou mania dos brancos! E inclinava a cabeça como se a cabeça fugisse do pensamento e me avisava: - Você quer entender o mundo que é coisa que nunca se entende.
(...)
Depois de mim seu ventre se fechou. Eu não era apenas um filho era o castigo dela não mais poder ser mãe. E aquele destino em outras punições se multiplicou: meu pai, em lugar de lhe reservar mais carinho, passou a lhe infligir penas, deitando – lhes as culpas pelos males do universo. E se sentiu aliviado: se ela perdera a fertilidade, ele tinha o direito de não ter deveres.
- Agora eu já não sou sujeito de nada. Me irresponsabilizo. E passou a dormir fora, gastando sua idade em leitos de outras. Minha mãe chorava enquanto dormia na solidão do leito desconjugal. Não soluçava, nem se escutava que despejo da tristeza. Só as lágrimas lhe escorriam sem pausa durante a noite.