Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Arvore De Letras

Coisas lidas,ouvidas,cantadas, declamadas,faladas,escritas

Arvore De Letras

Coisas lidas,ouvidas,cantadas, declamadas,faladas,escritas

15
Jun07

parte IV Conto Guy de Maupassant

AnnaTree

Coisas lidas...


Contemplava-a desvairado. Depois tomei-lhe a mão; as lágrimas borbulhavam-me nos olhos. Chorava a sua mocidade, pranteava a sua morte porque não a conhecia mais! - Naquela anafada e nutrida senhora que ali tinha diante de mim.
Ela comovida também balbuciou:
- Acha-me muito mudada, não é assim?
E depois com um suspiro triste:
- Que quer! Tudo passa. Como vê tornei-me mãe. Nada mais do que mãe. Boa mãe e boa dona de casa. O resto adeus, acabou-se. Oh! Bem pensava que não me reconheceria, se nos tornássemos a encontrar. O senhor também está bastante mudado. Analisei-o muito tempo antes de lhe falar, para não me enganar.
(....) olhei para a criança. Encontrei nela alguma coisa do antigo encanto da mãe (...) e a vida apareceu-me pela primeira vez rápida como um comboio que passa com toda a velocidade.
Chegamos a Maison Lafitte. Beijei a mão da minha velha amiga. Nada achei para lhe dizer, prenunciei apenas algumas banalidades palavras imbecis. Não podia falar. O choque fora rude demais. Á noite, sozinho, no meu quarto pus-me a mirar-me bastante tempo ao espelho. Levei nisso mesmo muito tempo. E acabei por me recordar do que tinha sido, revendo no pensamento o meu bigode castanho escuro, os meus cabelos pretos, a fisionomia fresca e o ar prazenteiro. Agora, meu caro, estou velho, positivamente velho, mesmo muito velho. Adeus!

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.