Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Arvore De Letras

Coisas lidas,ouvidas,cantadas, declamadas,faladas,escritas

Arvore De Letras

Coisas lidas,ouvidas,cantadas, declamadas,faladas,escritas

30
Jun08

1978 VERSUS 2008

AnnaTree

Coisas que me mailaram 

 

Situação: O Pedro está a pensar ir até ao monte depois das aulas, assim que entra no colégio mostra uma navalha ao João, com a qual espera poder fazer uma fisga:
Ano 1978: O director da escola vê, pergunta-lhe onde se vendem, mostra-lhe a sua, que é mais antiga, mas que também é boa.
Ano 2008: A escola é encerrada, chamam a Polícia Judiciária e levam o Pedro para um reformatório. A SIC e a TVI apresentam os telejornais desde a porta da escola.

Situação: O Carlos e o Quim trocam uns socos no fim das aulas:
Ano 1978: Os companheiros animam a luta, o Carlos ganha. Dão as mãos e acabam por ir juntos jogar matrecos.
Ano 2008: A escola é encerrada. A SIC proclama o mês anti-violência escolar, O Jornal de Notícias faz uma capa inteira dedicada ao tema, e a TVI insiste em colocar a Moura-Guedes à porta da escola a apresentar o telejornal, mesmo debaixo de chuva.

Situação: O Jaime não pára quieto nas aulas, interrompe e incomoda os colegas:
Ano 1978: Mandam o Jaime ir falar com o Director, e este dá-lhe uma bronca de todo o tamanho. O Jaime volta à aula, senta-se em silêncio e não interrompe mais.
Ano 2008: Administram ao Jaime umas valentes doses de Ritalin. O Jaime parece um Zombie. A escola recebe um apoio financeiro por terem um aluno incapacitado.

Situação: O Luis parte o vidro dum carro do bairro dele. O pai caça um cinto e espeta-lhe umas chicotadas com este:
Ano 1978: O Luis tem mais cuidado da próxima vez. Cresce normalmente, vai à universidade e converte-se num homem de negócios bem sucedido.
Ano 2008: Prendem o pai do Luís por maus tratos a menores. Sem a figura paterna, o Luís junta-se a um gang de rua. Os psicólogos convencem a sua irmã que o pai abusava dela e metem-no na cadeia para sempre. A mãe do Luís começa a namorar com o psicólogo. O programa da Fátima Lopes mantém durante meses o caso em estudo, bem como o Você na TV do Manuel Luís Goucha.

Situação: O Zézinho cai enquanto praticava atletismo, arranha um joelho. A sua professora Maria encontra-o sentado na berma da pista a chorar. Maria abraça-o para o consolar:
Ano 1978: Passado pouco tempo, o Zézinho sente-se melhor e continua a correr.
Ano 2008: A Maria é acusada de perversão de menores e vai para o desemprego.
Confronta-se com 3 anos de prisão. O Zézinho passa 5 anos de terapia em terapia. Os seus pais processam a escola por negligência e a Maria por trauma emocional, ganhando ambos os processos. Maria, no desemprego e cheia de dívidas suicida-se atirando-se de um prédio. Ao aterrar, cai em cima de um carro, mas antes ainda parte com o corpo uma varanda. O dono do carro e do apartamento processam os familiares da Maria por destruição de propriedade. Ganham. A SIC e a TVI produzem um filme baseado neste caso.

Situação: Um menino branco e um menino negro andam à batatada por um ter chamado 'chocolate' ao outro:
Ano 1978: Depois de uns socos esquivos, levantam-se e cada um para sua casa. Amanhã são colegas.
Ano 2008: A TVI envia os seus melhores correspondentes. A SIC prepara uma grande reportagem dessas com investigadores que passaram dias no colégio a averiguar factos. Emitem-se programas documentários sobre jovens problemáticos e ódio racial. A juventude Skinhead finge revolucionar-se a respeito disto. O governo oferece um apartamento à família do miúdo negro.

Situação: Tens que fazer uma viagem:
Ano 1978: Viajas num avião de TAP, dão-te de comer, convidam-te a beber seja o que for, tudo servido por hospedeiras de bordo espectaculares, num banco que cabem dois como tu.
Ano 2008: Entras no avião a apertar o cinto nas calças, que te obrigaram a tirar no controle. Enfiam-te num banco onde tens de respirar fundo para entrar e espetas o cotovelo na boca do passageiro ao lado e se tiveres sede o hospedeiro maricas apresenta-te um menu de bebidas com os preços inflacionados 150%, só porque sim. E não protestes muito pois quando aterrares revistam te todo dos pés á cabeça para ver se trazes drogas.


Situação: Faz ias uma asneira na sala de aula:
Ano 1978: O professor espetava duas valentes lostras bem merecidas. Ao chegar a casa o teu pai dava-te mais duas porque 'alguma deves ter feito'
Ano 2008: Fazes uma asneira. O professor pede-te desculpa. O teu pai pede-te desculpa e compra-te uma Playstation 3.

Situação: Chega o dia de mudança de horário de Verão para Inverno:
Ano 1978: Não se passa nada.
Ano 2008: As pessoas sofrem de distúrbios de sono, depressão e diarreia.

Situação: O fim das férias:
Ano 1978: Depois de passar 15 dias com a família atrelada numa caravana puxada por um Fiat 600 pela costa de Portugal, terminam as férias. No dia seguinte vai-se trabalhar.
Ano 2008: Depois de voltar de Cancún de uma viagem com tudo pago, terminam as férias. As pessoas sofrem de distúrbios de sono, depressão, seborreia e diarreia.

25
Jun08

GAZETILHA

AnnaTree

Coisas lidas

 

O QUE ESTÁ A ACONTECER
COM AS NOSSAS TRADIÇÕES
É DIFÍCIL DE ENTENDER
E ARRANHA OS CORAÇÕES.
QUEREM ACABAR COM TUDO
O QUE DE BOM CÁ EXISTE
E O NOSSO POVO, É MUDO?
NÃO SE ASSANHA, NÃO RESISTE?
ENTÃO PASTEIS DE TENTUGAL
ESTÃO EM VIAS DE EXTINÇÃO?
E DEIXARÁ PORTUGAL
VENCER-SE SOB PRESSÃO?
QUANDO SE PROPÔE ALGUÉM
ESTRAGAR O QUEIJO DA SERRA
TIRAR-LHE A GRAÇA QUE TEM
SÓ PODEM QUERER, É GUERRA.
OH, SENHORES LÁ DE BRUXELAS!
TENHAM TENTO, TENHAM CALMA
GUARDEM AS VOSSAS CAUTELAS
PARA PAÍSES SEM "ALMA"
POIS PORTUGAL TEM IDADE
TEM "GRIFFE" E SABEDORIA
TEM GARRA E TEM VAIDADE:
SÃO AS SUAS MAIS VALIAS.
QUE O GOVERNO TENHA SENSO
NÃO SE ABAIXE EM DEMASIA
QUEM SE ABAIXA FICA TENSO
E MAL NA FOTOGRAFIA.
E A A. S. A. E. QUE SE CONTENHA
NOS SEUS EXCESSOS DE ZELO
É PRECISO QUE MANTENHA
"NA VENTA" AINDA ALGUM "PÊLO".
QUE SE PREOCUPE A EUROPA
COM COISAS MAIS IMPORTANTES
DEIXE CÁ A NOSSA "TROPA"
DE BELOS SABORES, IMPANTE.
ENQUANTO EU PUDER ESCREVER
SEM TER AS "PAPAS NA LÍNGUA"
NÃO ME DEIXAREI VENCER
NEM TEREI CRÍTICA Á MÍNGUA.
TEMOS TODOS QUE LUTAR
CADA UM COM O SEU JEITO
PARA PORTUGAL SALVAR
PRA UM PAÍS MAIS PERFEITO.
anabriz

23
Jun08

QUADRAS SÃO JUÓN

AnnaTree

 

Coisas lidas


Sobe, sobe, ribeirinho,
Depressa até o salgueiro
Pois neste mundo só valem
Os que chegarem primeiro.

 

Quero amor, dás-me amizade,
- que te importa a minha mágoa?-
tenho sede, dás-me pão,
tenho fome, dás-me água.


ausência é noite sem estrelas,
mas se estás para chegar,
é como se mil janelas
se abrissem de par em par.

 

Esta alegria que eu tinha
Anda tão longe, tão esquiva,
Que penso que vou morrer
De nada, só de estar viva.

 

A minha alma está de luto,
O tempo tudo levou.
Quando penso no que fui,
Tenho pena do que sou.

 

Quem não tem aos vinte anos
Um amor ou dois ou três?
Mas menina que se preza
Tem só um de cada vez

 

Corpo sem alma não pode,
Não consegue ser feliz,
Como a roseira não pode
Dar rosas sem ter raiz.

 

Cada vez fico mais triste
Ao ouvir a tua voz:
Se ainda sabes dizer eu
Já não sabes dizer nós.

 

Tão sincera me parece
Essa tua falsidade,
Que estou quase a acreditar
Que a mentira é que é a verdade

 

Jamais digas «nunca» e «Sempre»
«nunca» e «sempre» só Deus sabe:
nas nossas pequenas vidas
o infinito não cabe

 

não peças amor se amor
de quem te amava acabou.
Já viste alguém colher rosas
Na roseira que secou?

 

Amor que passa não volta,
E se volta não passou...
Amor que volta não passa,
E se passa não voltou.

 

Já nada quero da vida,
Nada quero deste mundo:
Sou como vela perdida
D'um barco que foi ao fundo.

 

 

20
Jun08

O MEU HOMEM IDEAL

AnnaTree

Coisas lidas

 

Que não seja bonito nem feio, mas que tenha olhos; não olhos azuis ou
Verdes, como já se usaram e se tornou enjoativo, mas fundos e perdidos se possível. E que chore que saiba chorar. É também obrigatório adivinhar-lhe duvidas, dilemas alguma dificuldade em existir. As pestanas grandes tornam-no bonitinho, e por isso as dispenso; mas, se olheiras tiver melhor: pode significar que pensa ou que sofre, e qualquer das coisas engrandece. O corpo pode ser alto ou baixo ou gordo ou magro, desde que seja meu; o que já não perdooei é que não esteja limpo a qualquer hora ou perfeitamente inodoro. Água-de-colónia, sim, mas só a seguir ao banho, naqueles breves instantes em que o cabelo ainda está molhado e o corpo, mal enxuto, humedece as costas da camisa. A boca sim, tem de existir, e os dentes devem constar bem tratados, como manda o século, para sorrir bem. Já não há desculpa para dentes acinzentados ou omissos; e nisso sou implacável; posso com temporizar, por grandeza ou solidão, mas desgosta me muito sorrisos velhos.
Da roupa, sim posso falar, mas muito pouco quero o meu homem tão bem vestido que seja possível não se reparar nas suas roupas é difícil perceber? E com os relógios, sapatos, carteiras e carros é a mesma coisa: devem ser suficientemente bons e caros para não se imporem ao resto. Como tudo o mais que é caro nele, aliás: a inteligência, o carácter, a cultura, a sensibilidade, tudo isso deve ser insinuado e não escarrapachado como as tais etiquetas que se dispensa na roupa. Coragem física, mas só se não for maior que a coragem moral; essa é muito mais rara de encontrar e não precisa de musculosa. Músculos devera ter a vontade, ou a classe, já que o estoicismo ou o «fair play» impressionam-me sempre mais do que um par de murros num bar. Nenhuma mulher do mundo gosta de avarentos mas não é por interesse: eu deposito tudo o que tenho no meu coração generoso.
Para além disto, uma série de excepções comandam as regras: os mundanos enervam-me, os faladores adormecem-me, os palavrosos enjoam-me os muito cultos irritam-me. Nessa perspectiva, a timidez é mais bem acolhida do que a verborreia, a insegurança é mais bem tolerada do que uma cultura escarrada, a fragilidade pode ser tão amada que desculpe a falta de uma carreira...e os beijos podem ser grandes ou pequenos, desde que sejam exclusivos e o sexo pode ser pouco ou muito desde que seja total.
Homem ciumento, está bem, mas desde que não mostre com isso o muito pouco que se estima. Por meu lado, eu amo-o tanto que sou capaz de lhe perdoar quase tudo: a barba no lavatório, o sarro na banheira, as meias rotas, as camisas sem fibra, o tempo que demora para pendurar aquele quadro, a relutância em perguntar o caminho quando se perde na estrada, a toalha molhada do banho em cima da cama, e até enquanto souber o que valo, o entusiasmo por algumas mulheres irresistíveis; as únicas coisas que continuo sem lhe perdoar são as festas maquinais, a ausência de projectos, as injustiças, a sensaboria, o desamor, a infidelidade. É verdade: há quem diga que o homem de hoje é deferente do de ontem não porque tenha mudado muito, mas porque mudamos nós; eu digo que, actualmente o homem «sexy» já não é aquele que provoca em mim uma atracção acéfala superficial e efémera, mas uma expectativa de virilidade e confiança capaz de me prender para o resto da vida.
Rita Ferro

18
Jun08

GAZETILHA

AnnaTree

Coisas declamadas!


O QUE ESTÁ A ACONTECER
COM AS NOSSAS TRADIÇÕES
É DIFÍCIL DE ENTENDER
E ARRANHA OS CORAÇÕES.
QUEREM ACABAR COM TUDO
O QUE DE BOM CÁ EXISTE
E O NOSSO POVO, É MUDO?
NÃO SE ASSANHA, NÃO RESISTE?
ENTÃO PASTEIS DE TENTUGAL
ESTÃO EM VIAS DE EXTINÇÃO?
E DEIXARÁ PORTUGAL
VENCER-SE SOB PRESSÃO?
QUANDO SE PROPÔE ALGUÉM
ESTRAGAR O QUEIJO DA SERRA
TIRAR-LHE A GRAÇA QUE TEM
SÓ PODEM QUERER, É GUERRA.
OH, SENHORES LÁ DE BRUXELAS!
TENHAM TENTO, TENHAM CALMA
GUARDEM AS VOSSAS CAUTELAS
PARA PAÍSES SEM "ALMA"
POIS PORTUGAL TEM IDADE
TEM "GRIFFE" E SABEDORIA
TEM GARRA E TEM VAIDADE:
SÃO AS SUAS MAIS VALIAS.
QUE O GOVERNO TENHA SENSO
NÃO SE ABAIXE EM DEMASIA
QUEM SE ABAIXA FICA TENSO
E MAL NA FOTOGRAFIA.
E A A. S. A. E. QUE SE CONTENHA
NOS SEUS EXCESSOS DE ZELO
É PRECISO QUE MANTENHA
"NA VENTA" AINDA ALGUM "PÊLO".
QUE SE PREOCUPE A EUROPA
COM COISAS MAIS IMPORTANTES
DEIXE CÁ A NOSSA "TROPA"
DE BELOS SABORES, IMPANTE.
ENQUANTO EU PUDER ESCREVER
SEM TER AS "PAPAS NA LÍNGUA"
NÃO ME DEIXAREI VENCER
NEM TEREI CRÍTICA Á MÍNGUA.
TEMOS TODOS QUE LUTAR
CADA UM COM O SEU JEITO
PARA PORTUGAL SALVAR
PRA UM PAÍS MAIS PERFEITO.
anabriz

17
Jun08

WHITE FLAG DIDO

AnnaTree

Coisas cantadas!


I know you think that I shouldn't still love you,
Or tell you that.
But if I didn't say it, well I'd still have felt it
where's the sense in that?
I promise I'm not trying to make your life harder
Or return to where we were
I will go down with this ship
And I won't put my hands up and surrender
There will be no white flag above my door
I'm in love and always will be
I know I left too much mess and
destruction to come back again
And I caused nothing but trouble
I understand if you can't talk to me again
And if you live by the rules of "it's over"
then I'm sure that that makes sense
I will go down with this ship
And I won't put my hands up and surrender
There will be no white flag above my door
I'm in love and always will be
And when we meet
Which I'm sure we will
All that was there
Will be there still
I'll let it pass
And hold my tongue
And you will think
That I've moved on....
I will go down with this ship
And I won't put my hands up and surrender
There will be no white flag above my door
I'm in love and always will be
I will go down with this ship
And I won't put my hands up and surrender
There will be no white flag above my door
I'm in love and always will be
I will go down with this ship
And I won't put my hands up and surrender
There will be no white flag above my door
I'm in love and always will be

 

 

16
Jun08

MULHER DESPIDA

AnnaTree

Coisas que me mailaram!

 

obrigada Nep.

Talvez a verdadeira excitação esteja, hoje, em ver uma mulher se despir de verdade - emocionalmente.
Nudez pode ter um significado diferente.
Muito mais intenso é assistir a uma mulher desabotoar suas fantasias, suas dores, sua história.
É erótico ver uma mulher que sorri, que chora, que vacila, que fica linda sendo sincera, que fica uma delícia sendo divertida, que deixa qualquer um maluco sendo inteligente.
Uma mulher que diz o que pensa, o que sente e o que pretende, sem meias-verdades, sem esconder seus pequenos defeitos - aliás, deveríamos nos orgulhar de nossas falhas, é o que nos torna humanas, e não bonecas de porcelana.
Arrebatador é assistir ao desnudamento de uma mulher em quem sempre se poderá confiar, mesmo que vire ex, mesmo que saiba demais.
Não é fácil tirar a roupa e ficar pendurada numa banca de jornal mas, difícil por difícil, também é complicado abrir mão de pudores verbais, expôr nossos segredos e insanidades, revelar nosso interior.
Mas é o que devemos continuar fazendo.
Despir nossa alma e mostrar pra valer quem somos, o que trazemos por dentro.
Não conheço strip-tease mais sedutor.

Texto de Martha Medeiros

 

Pág. 1/3