Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Arvore De Letras

Coisas lidas,ouvidas,cantadas, declamadas,faladas,escritas

Arvore De Letras

Coisas lidas,ouvidas,cantadas, declamadas,faladas,escritas

17
Nov08

SABE-SE LÁ O AMOR II(In Quase gosto da vida que tenho Pedro Paixão)

AnnaTree

Coisas lidas
(...)
Ele será condenado por rapto. Ela voltará para casa dos pais. Disso há que ter a certeza. Ele é responsável, um soldado, um homem feito de trinta e sete anos de violência. As televisões não falam de outra coisa, transformaram o amor em violação. Começou a caça ao homem! A rapariga é uma presa indefesa nas garras da inconsciência.

Entretanto o homem e a rapariga amam-se em desespero num quarto fechado, num qualquer hotel barato. Têm medo de sair á rua, do olhar dos outros. Sabem que estão a ser perseguidos, que já foram condenados antes de poderem dizer o que quer que fosse, se para tal encontrassem palavras. Transportam consigo o segredo da poesia. São demasiado vulneráveis. Um olhar basta para os destruir. O homem e a rapariga continuam sentados face a face, amando-se loucamente, sem se tocarem. Acreditam no amor, na frágil flor azul. Estão enlouquecidos. Mesmo antes de se terem encontrado, alma diante da alma, nas redes electrónicas em que o amor atinge a estonteante velocidade da luz. Estão loucos por amor sentados nas camas estreitas, separados por um pequeno intervalo, no quarto fechado do hotel barato. Não comem nada, bebem um pouco de água. Vão ficar assim imóveis até a policia os encontrar.

 

14
Nov08

SABE-SE LÁ O AMOR (In Quase gosto da vida que tenho Pedro Paixão)

AnnaTree

Coisas lidas
(...)
Nas televisões segue-se o caso da rapariga inglesa de catorze anos que desapareceu com um americano de trinta e sete. Correspondiam-se por mensagens electrónicas, sem nunca se terem visto ou falado. Marcaram encontro num aeroporto de Paris e depois desapareceram.
(...)
As polícias de vários países procuraram uma qualquer pista, as fotografias dos dois estampadas em todos os diários. Correspondiam-se há meses. Faziam planos para o futuro, coisas simples como casar e ter filhos. Ignoravam que já não é possível casar nem ter filhos (...) talvez sofressem ambos da solidão que não passa, a doença incurável. Por isso aquelas desesperadas cartas electrónicas. E depois o encontro, o rapto, a perseguição por todas as policias europeias. Se os compreendo? E se sabe o que é o amor?
Apaixonaram-se um pelo outro, mentindo-se a si próprios e ao outro o necessário para não desaparecerem logo face ás paisagens em ruínas, ás famílias destroçadas onde impera a televisão a todas as horas. Eles, acreditaram no amor, eram os últimos. Eles acreditaram na poesia, eram os últimos. A polícia persegue-os seguindo todas as pistas. Com toda a razão. É demasiado perigoso uma rapariga de catorze anos que se apaixona por um soldado de trinta e sete. Qual deles será mais perigoso?

12
Nov08

Aprendi e continuo a aprender....

AnnaTree

Coisas mailadas
aprendi....que ninguém é perfeito enquanto não te apaixonas.
Aprendi....que a vida é dura mas eu sou mais que ela!!
Aprendi que...as oportunidades nunca se perdem aquelas que desperdiças... alguém as aproveita
Aprendi que...quando te importas com rancores e amarguras a felicidade vai para outra parte.
Aprendi que... devemos sempre dar palavras boas...porque amanhã nunca se sabe as que temos que ouvir.
Aprendi que...um sorriso é uma maneira económica de melhorar o teu aspecto.
Aprendi que... não posso escolher como me sinto...mas posso sempre fazer alguma coisa.
Aprendi que...quando o teu filho recém-nascido segura o teu dedo na sua mão têm-te preso para toda a vida
Aprendi que...todos , todos querem viver no cimo da montanha... mas toda a felicidade está durante a subida.
Aprendi que... temos que gozar da viagem e não apenas pensar na chegada.
Aprendi que...o melhor é dar conselhos só em duas circunstancias...quando são pedidos e quando deles depende a vida.
Aprendi que...quanto menos tempo se desperdiça...
mais coisas posso fazer.
Enviado por o Mano

 

11
Nov08

CELINE DION - FLY

AnnaTree

Fly, fly little wing
Fly beyond imagening
The softest cloud, the witest dove
Upon the wind of heaven's love
Past the planets and the stars
Leave this lonely world of ours
Escape the sorrow and the pain
And fly again


 

 

10
Nov08

Canção da Falsa Adormecida

AnnaTree

Coisas declamadas
Se te pareço ausente, não creias:
Hora a hora o meu amor agarra-se aos teus braços,
Hora a hora o meu desejo revolve estes escombros
E escorrem dos meus olhos mais promessas.

Não acredites neste breve sono;
Não dês valor maior ao meu silêncio;
E se leres recados numa folha branca,
Não creias também: é preciso encostar
Teus lábios em meus lábios para ouvir.

Nem acredites se pensas que te falo:
Palavras
São o meu jeito mais secreto de calar.

LYA LUFT

07
Nov08

brasileirices

AnnaTree

Coisas Mailadas

 

 

Primeiro o de Drummond:

João amava Teresa
Que amava Raimundo
Que amava Maria
Que amava Joaquim
Que amava Lili
Que não amava ninguém
João foi para os Estados Unidos
Teresa pra o convento
Raimundo morreu de desastre
Maria ficou para tia
Joaquim suicidou-se
E Lili casou com J.Pinto Fernandes
Que não tinha entrado na história.

Agora o outro...

Dona Marisa amava o Lula
Que amava o poder
Que era a paixão do Crivella
Que sonhava com o Exército
Para fazer obra na sua favela.
O Exército que não é polícia
Mostrou toda a sua imperícia
E, mesmo na dúvida entre traficante e milícia
Vendeu três coitados às sevícias
Dona Marisa continua avoada
O Crivella é bispo de fachada
O Exército terceirizou a porrada
E o Lula... Claro, o Lula não sabia de nada

Moral deste poema:
Tal qual o personagem J.Pinto Fernandes,
o POVO nunca entrou nessa história.

Curiosidade:
O nome do poema do Drummond, 'QUADRILHA'.
Sabia das coisas esse Drummond...

 

Enviado por a Ruth