Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Arvore De Letras

Coisas lidas,ouvidas,cantadas, declamadas,faladas,escritas

Arvore De Letras

Coisas lidas,ouvidas,cantadas, declamadas,faladas,escritas

05
Abr12

SEM TITULO DN Jovem autor??

AnnaTree

Coisas Lidas

 

 

Tenho para mim que cada vez que faço clique estagna-se o tempo e o mundo pára no eixo aturdido de repente. Que o círculo da lente te perscruta em demanda de uma lama que quero crer que existe, que tem mesmo que existir, senão como explicar o gesto paralisado, o esgar rocambolesco ou os arabescos de bailado que encenas só para mim e fazem pensar que é tamanha a beleza do mundo que receio não a conseguir suportar. Que tenho medo de perder de vez num feixe de luz elétrica

(...)

Num rolo entorpecido que me iluda vinte e quatro vezes ao encravar no primeiro clique e troce de mim ao ver-me disparar em seco, no vazio, convencido de que imortalizo rostos ou ilumino discursos. Tenho para mim que as faces dos políticos se reinventam conforme as situações, que as quedas dos futebolistas não passam de simulações e os turbantes dos terroristas se enfunam com o vento em lufadas de flashes que reivindicam acordos e promessas de cessar-fogo. Que o olhar da Monalisa e o sorriso do Che não passam de abstrações condicionadas por um indicador sobreposto num pincel ou num botão, se não como explicar os turistas no Louvre, um cadáver animado e o risinho agonizante que dizem lembrar o Filho de Deus

(...)

Cada vez que as faces dos políticos se transmutam defronte das câmaras (...) e os lenços dos terroristas fazem clique no gatilho estagnado o tempo e parando o mundo no eixo aturdido de repente; cada vez que o círculo da lente os perscruta em demanda de uma alma que quero crer que existe, que tem mesmo de existir, senão como explicar o olhar horrorizado, o desespero em tatuagem ou os arabescos de uns para os outros e me fazem pensar que são tamanhas e beleza e a fealdade do mundo que receio não as conseguir suportar.

Pág. 2/2