Segunda-feira, 31 de Março de 2014

Deborah - Jon & Vangelis


publicado por AnnaTree às 08:58
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 28 de Março de 2014

Guilherme de Azevedo, in 'Antologia Poética'O Seu Nome é Muito Próprio Dela

COISAS DECLAMADAS

 

O Seu Nome é Muito Próprio Dela

 

O seu nome é gracioso e muito próprio dela: 
Respira um vago tom de música inocente; 
E lembra a placidez de um lago transparente; 
Recorda a emanação tranquila duma estrela. 

Lembra um título bom, que logo nos revela 
A ideia do poema. E todo o mundo sente 
Não sei que afinidade entre o seu ar dolente, 
a sua morbidezza, e o próprio nome dela. 

E chego acreditar - ingenuamente o digo - 
Que havia um nome em branco, e Deus pensa consigo 
Em traduzi-lo enfim numa expressão qualquer: 

De forma que a mulher suave e graciosa 
Faz parte deste nome um tanto cor-de-rosa, 
E este nome gentil faz parte da mulher. 

Guilherme de Azevedo, in 'Antologia Poética'


publicado por AnnaTree às 14:49
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 27 de Março de 2014

Mouseland, legendado em português


publicado por AnnaTree às 09:04
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 26 de Março de 2014

Antonio Feijó O Amor e o Tempo

COISAS DECLAMADAS

 

Pela montanha alcantilada

Todos quatro em alegre companhia,

O Amor, o Tempo, a minha Amada

E eu subíamos um dia.

 

Da minha Amada no gentil semblante

Já se viam indícios de cansaço;

O Amor passava-nos adiante

E o Tempo acelerava o passo.

 

— «Amor! Amor! mais devagar!

Não corras tanto assim, que tão ligeira

Não pode com certeza caminhar

A minha doce companheira!»

 

Súbito, o Amor e o Tempo, combinados,

Abrem as asas trémulas ao vento...

— «Porque voais assim tão apressados?

Onde vos dirigis?» — Nesse momento,

 

Volta-se o Amor e diz com azedume:

— «Tende paciência, amigos meus!

Eu sempre tive este costume

De fugir com o Tempo... Adeus! Adeus!

 

 

 


publicado por AnnaTree às 08:51
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 24 de Março de 2014

casamento


publicado por AnnaTree às 09:08
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 21 de Março de 2014

Recado aos Amigos DistantesCecília Meireles, in 'Poemas (1951)'

COISAS DECLAMADAS

 

 

Meus companheiros amados, 
não vos espero nem chamo: 
porque vou para outros lados. 
Mas é certo que vos amo. 

Nem sempre os que estão mais perto 
fazem melhor companhia. 
Mesmo com sol encoberto, 
todos sabem quando é dia. 

Pelo vosso campo imenso, 
vou cortando meus atalhos. 
Por vosso amor é que penso 
e me dou tantos trabalhos. 

Não condeneis, por enquanto, 
minha rebelde maneira. 
Para libertar-me tanto, 
fico vossa prisioneira. 

Por mais que longe pareça, 
ides na minha lembrança, 
ides na minha cabeça, 
valeis a minha Esperança. 


publicado por AnnaTree às 13:21
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 20 de Março de 2014

João Portugal - Foste Tu (video e letra)


publicado por AnnaTree às 08:54
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 19 de Março de 2014

(Antologia de Poesia Erótica e Satírica) (Edição de Fernando Ribeiro de Melo) “Afrodite”

COISAS DECLAMADAS

CÂNTICO

Num impudor de estátua ou de vencida,
Coxas abertas, sem defesa..., nua
Ante a minha vigília, a noite, e a lua
Ela, agora, descansa, adormecida.

Dos seus mamilos roxos-azuis, em ferida,
Meu olhar desce aonde o sexo estua.
Choro... e porquê? Meu amor, irreal, flutua
Sobre funduras e confins da vida.

Minhas lágrimas caem-lhe nos peitos...
Enquanto o luar a nimba, inerte, gasta
Da ternura feroz do meu amplexo.

Cantam-me as veias poemas nunca feitos...
E eu pouso a boca, religiosa e casta,
Sobre a flor esmagada do seu sexo.



publicado por AnnaTree às 08:38
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 18 de Março de 2014

CHICAGO - Hard To Say I'm Sorry


publicado por AnnaTree às 09:09
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 17 de Março de 2014

In “Passagem de Nível” Portugália Editora Sidónio Muralha 1920 – 1982

COISAS DECLAMADAS

 

ROMANCE

 

Depois daquela noite os teus seios incharam;

as tuas ancas alargaram-se;

e os teus parentes admiraram-se

e falaram, falaram…

 

Porque falaram de uma coisa tal bela,

tal simples, tão natural?

Tu não parias uma estrela

nem uma noite de vendaval…

 

Mas tudo terminou porque falaram.

Tu fraquejaste e tudo terminou.

– Os teus seios desincharam;

só a tristeza ficou.

 

Ficou a tristeza de uma coisa tão bela,

tão simples, tão natural…

 

– Tu não parias uma estrela,

nem uma noite de vendaval…

 

 

 


publicado por AnnaTree às 08:58
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 37 seguidores

.pesquisar

 

.Dezembro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Notícias Magazine 1/10/20...

. Sword of Democles Lou Ree...

. Estilhaços Júlio Machado ...

. Estilhaços de Júlio Macha...

. Estilhaços de Júlio Macha...

. Estilhacos de Júlio Macha...

. Estilhaços de Júlio Macha...

. Estilhaços de Júlio Macha...

. Estilhacos de Júlio Macha...

. Estilhaços de Júlio Macha...

.arquivos

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Janeiro 2018

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Agosto 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

SAPO Blogs

.subscrever feeds