Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Arvore De Letras

Coisas lidas,ouvidas,cantadas, declamadas,faladas,escritas

Arvore De Letras

Coisas lidas,ouvidas,cantadas, declamadas,faladas,escritas

04
Dez14

Sonetos do Regresso Carlos Oliveira 1921 // 1981Escritor

AnnaTree

COISAS DECLAMADAS

 

Volto contigo à terra da ilusão,

Mas o lar de meus pais levou-o o vento

E se levou a pedra dos umbrais

O resto é esquecimento:

Procurar o amor neste deserto

Onde tudo me ensina a viver só

E a água do teu nome se desfaz

Em sílabas de pó

É procurar a morte apenas,

O perfume daquelas

Longínquas açucenas

Abertas sobre o mundo como estrelas:

Despenhar no meu sono de criança

Inutilmente a chuva da lembrança.

5fa8c4483df03eee95e9e7c7664521b6.jpg

 

01
Dez14

Carlos de Oliveira, in 'Mãe Pobre'

AnnaTree

 

 

 Les Petites Mendicantes (The Little Beggar Girls), William Adolphe Bouguereau.

6da70e98ab28a60d9beb1d46b0dd725c.jpg

 

 COISAS DECLAMADAS

 

Acusam-me de Mágoa e Desalento

Acusam-me de mágoa e desalento,

Como se toda a pena dos meus versos

Não fosse carne vossa, homens dispersos,

E a minha dor a tua, pensamento.

 

Hei-de cantar-vos a beleza um dia,

Quando a luz que não nego abrir o escuro

Da noite que nos cerca como um muro,

E chegares a teus reinos, alegria.

 

Entretanto, deixai que me não cale:

Até que o muro fenda, a treva estale,

Seja a tristeza o vinho da vingança.

 

A minha voz de morte é a voz da luta:

Se quem confia a própria dor perscruta,

Maior glória tem em ter esperança.

 

Carlos de Oliveira Portugal

1921 // 1981Escritor

Pág. 2/2