Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Arvore De Letras

Coisas lidas,ouvidas,cantadas, declamadas,faladas,escritas

Arvore De Letras

Coisas lidas,ouvidas,cantadas, declamadas,faladas,escritas

04
Out18

Sophia Melo Breyner

AnnaTree

coisas lidas

5909DB87-6567-4131-8361-A55CB9B6F835.jpeg

 

 

Apesar das ruínas e da morte,

Onde sempre acabou cada ilusão,

A força dos meus sonhos é tão forte,

Que de tudo renasce a exaltação 

E nunca as minhas mãos ficam vazias.

 

Noites sem nome, do tempo desligadas,

Solidão mais pura do que o fogo e a água,

Silêncio altíssimo e brilhante.

 

As imagens vivem e vão cantando libertadas

E no secreto murmurar de cada instante

Colhi a absolvição  de toda a mágoa 

 

Sophia Mello Breyner

 

 

03
Out18

De artifícios e adereços José Jorge Letria 

AnnaTree

Coisas lidas 

 

ED5A195E-DCF9-4B05-B13B-E61863F1F4B6.jpeg

 

 

 Despe-te de artifício e adereços

 e deixa que a luz que te ilumina o rosto 

traga a claridade a toda a casa 

e teça simulacros de lume

(...)

 Hás- de encontrar-me esquecido, sem lembrança

 da forma que tem um corpo 

quando derrama sobre as almofadas,

 aos borbotões, a ternura que a fala não explica.

(..)

 Imobiliza-te num repente, ave boquiaberta 

 Pela sede , e consente que na paz das tuas asas 

o sonho absoluto aprenda a vertigem do voo.

 

01
Out18

José Jorge Letria O grande mar 

AnnaTree

Coisas Lidas

 

12DA8A95-5692-4AA7-BE3A-08FD1C5126CA.jpeg

 

Fez-se tarde, eu sei, vejo-o nos teus olhos, 

e nada do que possa ser dito 

Há - de retardar o epílogo, a tormenta . 

Devolve-nos o espelho a imagem sumida 

do que fomos, um dia, junto ao mar, 

do que amámos, uma noite, contra o tempo. 

Arde-me por dentro a saudade do que fomos, 

(...)

O que sobra de ti é um esgar, 

um retrato rasgado entre dois muros, 

um pedaço de cabelo a queimar os dedos. 

Já aqui que não estamos para falar 

e tudo o que dissermos é contra nós 

que há-de ser usado. Tu sabes.

 

 

Pág. 2/2