Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Arvore De Letras

Coisas lidas,ouvidas,cantadas, declamadas,faladas,escritas

Arvore De Letras

Coisas lidas,ouvidas,cantadas, declamadas,faladas,escritas

21
Mar19

nem-as-mulheres-sao-tao-complicadas-nem-os homens tão simples

AnnaTree

Coisas lidas

 

08C8451D-0D94-4546-8174-863902090CBC.jpeg

 

Os papéis do pai da mãe são igualmente importantes, mas não devem ser os mesmos; a criança precisa de sentir as duas sensibilidades para estruturar a sua mente, providenciar os seus mecanismos de adaptação, para elaborar os recursos que permitirão enfrentar as diferentes situações com que irá deparar-se na sua vida. 

(...)

Os  dois anos são uma etapa muito típica em que surgem muitas birras; e aparecem não porque a criança esteja muito deprimida ao ver que os seus pais não se entendem, ou porque queiram abusar da nossa paciência, Aparecem porque estão cheios de pulsoes que não controlam e precisam imperiosamente que nós os ajudemos e lhes ofereçamos uma série de critérios que lhes permitam superar essas tensões. Quando se atiram para o chão, gritam esperneiam incessantemente, fazem -no para chamar a nossa atenção e ver até onde podem ir. Esperam que nós nos dêmos conta do que se passa com elas e as ajudemos a resolver a questão. A solução não é pegar-lhes e abraçá-las porque estão a sofrer por nossa causa; nem gritar-lhes e  dizer-lhes "agora basta!"(...)Nesses momentos de birra, o melhor é não darmos atenção, que ao fim de um momento surpreendamos com qualquer assunto, como se não ouvíssemos os seus gritos, que não cedamos se estão a pedir-nos alguma coisa, para que não aprenda a  obter as coisas por intermédio das birras e, sobretudo, que nos veja tranquilos e descontraídos; desta forma, as birras passarão e vós tereis cumprido uma das vossas missões de pais, ajudar os vossos filhos a resolver os conflitos, não há perpétua-los luz.

(...)

15
Mar19

nem-as-mulheres-sao-tao-complicadas, nem os homens tão simples

AnnaTree

A coisas lidas

91BBD75A-D6E0-4904-81D1-2277656304F0.jpeg

 

Quando alguma coisa preocupa mulher, ela precisa de falar disso e procurar ocasião para o  fazer. Este facto choca com o processo que ocorre nos homens; geralmente, eles preferem não falar, tentam levar a sua mente para outro sítio 

(...)

para cúmulo de desencontros, quando a mulher fala de alguma coisa que a preocupa não procura  que os outros lhe dêem soluções e lhe digam o que deve fazer o que tem que fazer; o que quer e precisa é que perguntem com interesse, que lhe peçam detalhes…; Desta forma, ela consegue que a sua mente estruture o problema realize o processo de que necessita. 

(...)

 os homens não se dão conta de que a empatia - pôr-se no lugar da outra pessoa -  significa pensar como ela, não como ele passaria de sentiria na sua situação.