Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Arvore De Letras

Coisas lidas,ouvidas,cantadas, declamadas,faladas,escritas

Arvore De Letras

Coisas lidas,ouvidas,cantadas, declamadas,faladas,escritas

22
Set10

conto virgemIII

AnnaTree

 

 

Coisas lidas

 

(...)

 

As palavras, ninguém as agarra, nem mesmo os que as tentam aprisionar no papel, e no entanto elas tem cores. Também tem volume, peso, altura, mas disso não vamos tratar aqui. As que saíram da boca do Presidente, eram azuis celestiais as duas primeiras, cor-de-rosa as duas seguintes e dourada a ultima:

 

- Rosas vermelhas para ela...tantas!esposta do Padre ao comentário do presidente viria em tonalidades púrpura, raiadas de vermelho cardeal:

 

- Contei-as! Cem rosas. Cem! É um grande escândalo.

 

(...)

 

- Se Ele sabe o que se faz nesta terra á sua Mãe Imaculada ainda nos castiga mais. Para a desgraça ser total já só falta fechar a fábrica das mulheres. Vamos lá ver se resolvemos isto depressinha... o Padre retomou o seu lugar de homem-sol, no centro imaginário da meia-lua feita de homens - homens. Mas não falou logo. Nem logo a seguir. Deixou o silêncio pesar de modo que as palavras quando fossem projectadas, atingissem todos como chumbo. E, lá vieram elas, a tiro de canhão:

 

- Estamos cá todos, se ainda conto bem, As mulheres graças a Deus que estão ocupadas na fábrica dos tapetes! Mas os homens não falta cá um. Se fosse outro dia eu estaria muito feliz. Mas não estou. Alguém veio por rosas vermelhas á Virgem Maria. Quem o fez, cometeu um grande pecado porque vermelho é a cor da paixão. É fogo. É sangue! Vermelho é desejo carnal. E isso eu não admito que alguém sinta pela Virgem Maria. Ninguém, mas ninguém, pode cultivar tal sentimento.

 

Um burburinho voltou a correr entre os homens mas o Padre acabou de imediato com ele tossindo silêncios que logo se espalharam por toda a igreja.