Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Arvore De Letras

Coisas lidas,ouvidas,cantadas, declamadas,faladas,escritas

Arvore De Letras

Coisas lidas,ouvidas,cantadas, declamadas,faladas,escritas

14
Out07

XXXIV virgilio ferreira conta corrente e pensar

AnnaTree

Coisas lidas

Nas margens da estrada e no meio dos campos visíveis havia maciços rubros de papoilas manchas amarelas de malmequeres. De um eucalipto novo colhi um ramo que esmaguei na mão algumas folhas para o seu perfume para me penetrar. Dei o ramo á Regina, ela aspirou-lhe também o perfume. Quase nada dizíamos porque a beleza de tudo era mais forte e falava mais alto não nos deixando falar a nós. Á volta colhemos algumas papoilas e malmequeres.
-Murcham logo dizia-me ela
Eu sabia. Mas era excitante pensar que podíamos ter connosco por mais algum tempo a beleza que sem ser
vista se desperdiçava.

De oprincipal a 14 de Outubro de 2007 às 17:17 O desperdício. Ele é a faixa mais larga de todo o acontecer no universo. E na vida. Quanta energia se esgota até ao seu nada, para ter razão esse tal segundo princípio da termodinâmica. Que mundo incrível se perdeu com as pessoas que se não cumpriram, que fracção enorme do cérebro ficou sem aplicação. E numa simples vida, que gasto enorme no comer e no dormir. Nós podíamos ser como as plantas de raízes aéreas e que só comem ar. Ou ser como o sol, que não dorme. Ou Deus que também não, até há pouco. Mas nessa desproporção alucinante entre o que se desperdiça e o que se aproveita, o homem cria o espaço para ser maior que o universo. Porque foi preciso o homem para o universo nascer. Tudo tão pouco. E tudo tão tanto, não é verdade? Vergílio Ferreira, in 'Pensar'

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.