Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Arvore De Letras

Coisas lidas,ouvidas,cantadas, declamadas,faladas,escritas

Arvore De Letras

Coisas lidas,ouvidas,cantadas, declamadas,faladas,escritas

25
Mai12

Ao Menino Marinheiro Dinis

AnnaTree

 

Coisas (re)escritas

 

 

Nasceu para marinheiro, o pequeno Dinis

 

É uma criança bonita de riso e natural.

 

Limpa o nariz ao braço direito,

 

Chapinha nas poças de água,

 

A mim ensinou-me tudo.

 

Ensinou-me a olhar para as coisas.

 

Aponta-me todas as coisas que há nas flores.

 

Mostra-me como as pedras são engraçadas

 

Quando a gente as tem na mão

 

E olha devagar para elas.

 

O Menino Dinis adormece nos meus braços

 

E eu levo-o ao colo para casa.

 

Ele é a Eterna Criança, o deus que faltava na minha vida

 

Ele é o humano que é natural.

 

Ele é o divino que sorri e que brinca.

 

E por isso é que eu o chamo de

 

Menino Marinheiro Dinis

 

Ele Dá-me uma mão a mim

 

E outra a tudo que existe

 

E assim vamos os três pelo caminho que houver,

 

Saltando e cantando e rindo

 

Depois ele adormece e eu deito-o.

 

Quando eu morrer, filhinho,

 

Seja eu a criança, o mais pequeno.

 

Pega-me tu ao colo

 

E leva-me para dentro da tua casa.

 

Despe o meu ser cansado e humano

 

E deita-me na tua cama.

 

E conta-me histórias, caso eu acorde,

 

Para eu tornar a adormecer.

 

E dá-me sonhos teus para eu brincar

 

Até que nasça qualquer dia

 

Que tu sabes qual é.

 

 

 

Baseado no poema de  Alberto Caeiro menino jesus