Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Arvore De Letras

Coisas lidas,ouvidas,cantadas, declamadas,faladas,escritas

Arvore De Letras

Coisas lidas,ouvidas,cantadas, declamadas,faladas,escritas

06
Jun13

Henrique Murillo O que se passa connosco?

AnnaTree

COISAS LIDAS

  (...)

Apanhou a mão direita em flagrante delito. Enquanto reconstruía mentalmente a imagem da gordinha, ela, a mão, descera com intenções evidentes, rondando os bairros deprimidos. Como, aos cinquenta, os bairros deprimidos se deprimem ainda mais, permitiu a exploração sem lhe opor qualquer chamada á ordem. Mas a cabeça também lhe decidira actuar por livre iniciativa. Que faço eu aqui e ela ali, a minha mão direita? É minha essa mão? E. Se é, porque faz das suas? Quem a manda entrar em intimidades com esse pássaro?

(...)

Aquilo do destino era uma maçada, mais perguntas. Calha-te o que te calha ou és tu que o procuras? É questão de sorte ou de esforço?

(...)

Está quieta, disse á mão, que ao menos uma vez obedeceu. Temia os desassossegos prolongados das horas vazias, das noites de insónia, a indisciplina  flagrante da mão, que voltava a fazer das suas  mesmo depois de lhe ter permitido apagar a vela uma e duas e três vezes. Agradava-lhe sentir-se engraçado. Mas não tinha graça nenhuma que a chama voltasse a acender-se sem lhe pedir autorização. Que tivesse de apagar a mangueira, belo paradoxo! Ah! Odiava tanta independência. De tantas partes do corpo. Tanta independência dos pensamentos. Meus? Ah, mil vezes ah! Quem manda aqui? Por acaso não sou eu? Era apenas complicar o processo. Porque de cada vez que se descuidava, surgia outra pergunta mais desagradável, incluindo: quem sou?