Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Arvore De Letras

Coisas lidas,ouvidas,cantadas, declamadas,faladas,escritas

Arvore De Letras

Coisas lidas,ouvidas,cantadas, declamadas,faladas,escritas

14
Jan08

A VIDA NUM ESPANTALHO

AnnaTree

Coisas lidas


A VIDA NUM ESPANTALHO POR EDUARDO SÁ 18/072004 NOTICIAS MAGAZINE

1. As pessoas só se «armam» em crescidas porque lhes falta alguém junto de quem possam, sem vergonha, continuar pequeninas á vontade. É por isso que, por fora continuam a crescer enquanto, por dentro, se portam mal (como não o faziam quando eram crianças).
(...)
Se a infância delas tivesse sido de algodão doce não precisavam – acreditem – de crescer em bicos de pés para espantar as suas dores infantis.


2. É por se sentirem desamparadas diante da vida, que as toma de surpresa, que as pessoas se tornam assustadiças quando a vivem. Sentem que o coração arranha, sempre que palpita mais depressa, como se tudo o que comove as desmanche e desarrume. O sentimento de pequenez ora as enternece, quando percebem que o perderam, ora as assusta, quando o sentem a prende-las aos seus medos, de pequeninas, que queriam espantar. Será por isso que não se movem para os outros. Como se só conseguissem imaginá-los como personagens que renovam, unicamente todos os seus medos infantis (e, quase nunca, pudessem arejar as suas dores para que, a partir delas se desse um novo começar.

3. Muitas pessoas transformam a vida num espantalho. De cada vez que espantam os medos ficam mais presas a eles. É por isso que, sendo grandes, se sentem (por dentro) desamparadas. Mais, ainda, porque já perceberam que amar é sermos pequeninos....e o melhor do mundo, ao mesmo tempo.
(aliás, amar é podermos ser mais do que pequeninos. É sermos de colo, outra vez). E, em vez de espantarmos as dores, encontrarmos quem espante em nós essa ambição tola de crescer por fora, sempre que o coração arranha (logo que palpita mais depressa como se tudo o que comove desmanche e desarrume

Rádio Tree

Música Brasileira

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D