Terça-feira, 22 de Maio de 2018

Livro impressão indelével Camilo Castelo Branco 

Coisas lidas

 

9FA7CFD7-C9B1-40BA-91D8-D479FC461308.jpeg

 

 

Quando o coração espera mais que o juízo, é amor. 

 

Se só há uma sepultura para cada homem, morrer posso morrer várias vezes. A impressão é indelével. E persiste 

 

A candura se rende ao Império dos instintos 

 

Gozo que vem da glória de possuir na morte, aquela que tantas lágrimas o fez chorar em vida, exaltação e gozo que provém de uma caveira.

 

Nunca te contei, meu caro Barbosa, o fecho ou desfecho de uma afeição dos meus 15 anos? Creio que não. 

Estás farto de confidencias do homem; as da criança, até muito tarde criança do coração, essas começam hoje o teu valor para mim; porque não sei o que há entre a puerícia e caducidade, que as lembranças mais vizinhas do berço andam juntas aos tremores do túmulo! 

 

Disseram-me que uma lei da senhora Dona Maria I me deserdava. A boa da rainha, se tivesse chamado mais cedo um certo bispo, não legislaria tão cruamente para os filhos do pecado. Denominava-se a piedosa, pela mesma razão que um rei nosso, soprando fogueira de 20.000 hebreus, se achou o piedoso. A boa da história é uma trapalhona! 

 

Permaneci quieto, não sei que tempo, e com os joelhos enterrados e a face pendida sobre a face morta. Não sei dizer-te o que eu pensei. Talvez nada! A alma neste lances creio que se aniquila. Há dores que o homem não pode, e Deus quando as dá assim, , permite a letargia, a morte passageira, a paralisia dos órgãos condutores da impressão.

 

 falta dizeres-te, meu caro Barbosa, que o esqueleto de Maria está ano Do meu cunhado. A caveira e do alvura de jaspe. Os dentes conservam o verniz de esmalte. As falanges daquelas mãos que eu beijava não têm a mais pequena mancha. O seio onde lhe bateu coração está vazio; todavia a simétrica inserção das costelas fez-me lembrar a cúpula, numa urna, onde um anjo do céu vai buscar um coração que não era de cá. 

 

pode-se morrer mais que uma vez. A sepultura é que é só uma para cada homem . É este o segredo do epitáfio de Scoto :Semel sepultus, bis mortuus.

 

se eu morrer na tua terra, dá-me este epitáfio, ainda que seja esculpido numa tábua. Sepultado uma vez, duas vezes morto. 

 

não há extravagância imaginária de que não seja capaz o coração do homem. 


publicado por AnnaTree às 10:09
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 37 seguidores

.pesquisar

 

.Outubro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Antologia Poética de Cast...

. Cafuné de Mário Zambujal

. Cafuné de Mário Zambujal

. Mário Zambujal . Cafune

. Sophia Melo Breyner

. De artifícios e adereços ...

. A vizinhança do Outono Jo...

. José Jorge Letria O grand...

. José Jorge Letria Um casu...

. José Jorge Letria Detém-t...

.arquivos

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Janeiro 2018

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Agosto 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

SAPO Blogs

.subscrever feeds